Na minha estante: A Sangue Frio - Truman Capote

13:49

Essa é uma resenha realizada durante a aula de Técnicas de Redação: Jornalismo Opinativo, ministrada pela coordenadora e professora do curso Karenine.


____________________________________________________________________________



Romance não ficcional traz ironia nas palavras e entusiasma leitores
Por Angélica Brito


Com um jornalismo literário a ponto de fazer seus leitores se questionarem se sua obra é realidade ou ficção, em seu livro A Sangue Frio, Truman Capote mergulha na pacata cidade de Holcomb, no estado do Kansas, Estados Unidos, para relatar, ou tentar decifrar, o assassinato dos quatro membros da família Clutter.
          
A investigação jornalística de Capote, que demorou seis anos e meio para virar um livro, lançado em 1965, narra a verdadeira história de uma dupla de assassinos, Perry Smith e Richard Hickock, que invadiram a fazenda River Valley à procura de um suposto cofre.

O crime, que aconteceu em meados de novembro de 1959, deixou a população da pequena e tranquila cidade, a uns 110 quilômetros da divisa entre os estados de Kansas e Colorado, horrorizada e com um medo nunca visto antes.

Ao perceber que o cofre de fato não existia, Perry resolve amarrar suas vítimas de forma cuidadosa, deixando até mesmo um travesseiro abaixo de uma delas para se sentir confortável, matando-as em seguida. A família, que servia como exemplo e era adorada por todos na cidade, foi brutalmente assassinada em suas terras.
          
Capote, que um dia chegou a ser considerado doente mental, interessa-se pela investigação do crime, encontrando resquícios do seu ego dentro da história. Além da frieza e determinação dos assassinos, Truman também pode ser considerado herdeiro de tais adjetivos.
          
Afirma-se que o autor teve um relacionamento amoroso com Perry Smith, o que o ajudou a detalhar exageradamente a personalidade do assassino. Quanto à sua determinação, Truman não acompanhava as investigações com um gravador, utilizava apenas sua própria memória.
          
Após ler uma notícia sobre o caso no New York Times, o autor decide ir até a cidade de Holcomb entrevistar familiares das vítimas e dos criminosos, lendo cartas e diários, observando as investigações e recolhendo documentos oficiais.
          
O “romance não ficcional” considerado o primeiro do novo jornalismo teve os seus quatro capítulos publicados na revista The New Yorker, virando filme em 2005.
         
A Sangue Frio faz o leitor ficar entusiasmado devido à riqueza de tantos detalhes do crime, dos assassinos, dos personagens, fazendo o público ter sede por querer saber o que mais revelará as próximas palavras.
          

Mesmo com a brutalidade do caso e o grande interesse de Capote por saber os motivos pelos quais os assassinos cometeram tal crime, chegando ao ponto de contratar advogados para manter os homicidas vivos, a ironia das palavras e a apuração detalhada faz o livro ser uma obra ambiciosa, mudando os parâmetros entre relato jornalístico e relato ficcional.

You Might Also Like

0 comentários