Crônicas de São Paulo: Paulista

15:30

Assim que chegamos fiz essa foto, não podia perder tempo 
e aproveitei a primeira oportunidade!

Toda vez que passava pela Paulista (e foram todos os dias já que devíamos pegar o metrô da Consolação), não tinha como não cantar aquela música da Alicia Keys “New York, concrete jungle where dreams are made of, there's nothing you can't do, now you're in New York, these streets will make you feel brand new, big lights will inspire you, let's hear it for New York”. É fato que São Paulo, assim como NY é uma selva de pedras, ainda mais na Paulista, a avenida mais famosa do país comparada à 5th avenue de NY. Sempre quis conhecê-las e bom, o primeiro passo foi feito!
Para quem mora em cidades pequenas e não tem o costume de ver arranha céus no mínimo se sentirá fadigado pensando “imagina se tudo isso cai ao mesmo tempo”, igual as pessoas que têm medo de água se questionam o que fariam se estivessem no Titanic.
Dramas a parte gosto sim da vida tranquila, de não ter que ficar horas a fio em engarrafamentos, de não ter que ficar ouvindo buzinas o dia todo, barulho de sirenes ou helicópteros, mas para quem já morou metade da infância e toda a adolescência em uma cidade grande chega até a sentir falta da correria. E preciso confessar que gosto das arquiteturas grandiosas dos prédios, cada um a sua maneira e com sua própria beleza.
E foi assim que me senti na Paulista: turista! É óbvio que não consegui tirar “A” foto, mas algumas deram pra salvar. Me peguei admirando aquela paisagem alta, cheias de janelas, em meio a tantos carros e pessoas passando, fora as que estavam dentro de cada prédio.
E a Paulista é assim... Existem experiências na vida que até dá pra você narrar, mas aquele frio na barriga e brilho nos olhos, aquelas histórias que vão ficar pra sempre na memória, ah, meu caro, isso só você pode sentir!

You Might Also Like

0 comentários