Sem definições

09:19



E de repente eu me pego pensando em nós dois. Mas por que nós dois?
Quem sou eu pra você? Quem é você pra mim?

Não sei ao certo aonde vamos chegar, não sei ao certo aonde eu quero chegar com você, duvido que você também saiba.

É um não saber grande. Não saber o que sentimos, não saber o que não sentimos. Saber apenas o que é aquele momento. E só. E isso não me basta.

Não me basta devido à falta de definições. Veja bem, deixa eu me explicar: eu gosto das coisas certas, não que não sinta prazer pelas erradas, mas aprecio as coisas explícitas.

É com você que me sinto bem, é com você que, depois de algum tempo, voltei a ver as estrelas e sentir aquelas famosas borboletas no estômago, é com você que, eu custo a admitir, mas eu quero estar presente o tempo todo.

É com você que sinto aquele frio na barriga da indecisão, da indecisão de ver o “e se...” chegando. E apesar de, em certos momentos, esse frio na barriga ter um pequeno prazer, o medo toma conta nas horas mais escuras da noite.

E não é assim que quero me sentir.

Mas é assim que vou deixando a vida me levar, vivendo um dia após o outro, um passo de cada vez, e se o meu futuro vai ser com você eu o entrego em suas mãos.

You Might Also Like

0 comentários