Sobre quatro rodinhas

16:24

Matéria desenvolvida durante a aula de Jornalismo de Revista, para a revista laboratorial PRETEXTO, do curso de Jornalismo, do Centro Universitário Toledo, sob orientação da professora Karenine Rocha da Cunha, no ano de 2014.


A modalidade do skate há tempos caiu no gosto dos jovens e permanece conquistando mais adeptos
Angélica Brito

Praticar algum esporte é algo que todos os médicos aconselham para jovens e adultos, principalmente como forma de evitar o sedentarismo. Traz vários benefícios, incluindo controle do estresse e da ansiedade, doenças crônicas, depressão, melhoria da autoestima, entre outros.Conhecido há muito tempo no Brasil e no mundo, o skate, um esporte de aventura, conquistou adolescentes, jovens e até mesmo alguns adultos.

Levando em conta que a prática de esportes é uma forma de prevenir e minimizar a incidência de risco social a crianças e adolescentes expostos ao ambiente das ruas, uma parceria entre os departamentos de Saúde, Assistência e Promoção Social, Esporte e Cultura municipais, criou em Auriflama, interior de São Paulo, o projeto Ação Radical, oferecendo a crianças e adolescentes de 7 a 18 anos um estilo de vida mais ativo e saudável. As aulas são ministradas todas as sextas-feiras, no período da manhã e tarde.


João Luiz dando os devidos cuidados ao seu skate


O professor e educador físico João Luiz Andrella explica que, a partir do momento que a criança tem autonomia para andar e controle das capacidades físicas básicas, que são desenvolvidas após os três anos de idade, ela já pode se envolver com a prática, desde que haja supervisão de adultos e sejam usados os equipamentos de proteção necessários.

A recomendação é nunca esquecer o capacete, as cotoveleiras e as joelheiras. “Para se tornar um bom atleta é preciso ter determinação, o aluno deve se dedicar ao máximo e treinar as manobras em todo o tempo que tiver livre, sem abandonar os estudos, é claro”, recomenda o professor.“O jovem precisa ter a maturidade e a responsabilidade de saber os seus limites, nunca tentar fazer aquilo que ele não seja capaz, nunca correr riscos.”

Amigos do skate
Kaique Junior Mello Santos, de 21 anos, e Anderson Mateus Rodrigues, de 20, são vizinhos e cresceram juntos. Há sete anos eles descobriram o esporte graças a outro amigo.  Devido à falta de tempo para os treinos, os dois adiaram o sonho de serem como os ídolos e se tornarem skatistas profissionais. Mesmo assim, ainda procuram vídeos na internet, aprendem e tentam repetir as manobras. Os finais de semana e os horários livres são utilizados para o treinamento e aperfeiçoamento, que são realizados em ruas, degraus e rampas encontradas pela cidade.

Anderson afirma que seu sonho ainda está muito longe de ser realizado. “Hoje o skate está muito evoluído. Há crianças de quatro, cinco anos de idade que já são consideradas profissionais. Eu já evoluí muito desde que comecei, mas ainda tenho muito que aprender. Todos podem praticar o skate, inclusive mulheres, é um incentivo e eu acho lindo ver mulher andando de skate”, confessa o jovem.


Os amigos Kaique e Anderson que descobriram o esporte na infância


Quando e como a prática foi inventada não se sabe ao certo, mas aconteceu nos Estados Unidos, provavelmente derivado dos rollersscooters, uma espécie de patinete fabricado desde 1900.

Em meados de 1950, com a falta de ondas no mar, alguns surfistas do litoral da Califórnia tentavam imitar as manobras de surf em pranchas de madeira com rodas e eixos. Em 1959, o primeiro skate fabricado e comercializado foi o Roller Derby. Nos anos 60, a prática ficou conhecida como sidewalksurfing - traduzido para o português como surf de calçada. Já em 1963, o esporte ganhou seu nome definitivo: skateboard e um grande número de adolescentes aderiram a essa nova identidade criando suas próprias manobras.

Em uma transição de praia para o asfalto nasce o skate vertical ainda na Califórnia onde, devido à grande seca da época, as paredes das piscinas eram utilizadas como forma de diversão. De descobertas de novas manobras à invenção de rodinhas que dessem maior impulso ao praticante. De piscinas vazias a rampas de madeiras construídas e instaladas pelos próprios skatistas em ruas, praças e quintais.


De acordo com a CBSK (Confederação Brasileira de Skate), o Brasil é a segunda potência mundial em fabricação de produtos para a prática do esporte. Além disso, o skate é o segundo esporte com maior número de praticantes no Brasil e um dos mais praticados no mundo.


Como cuidar do seu skate



Rolamentos
Mantê-los longe de terra, areia e água é essencial,porque podem entrar no interior dos rolamentos e travá-los, estourá-los ou ocasionar a perda de velocidade. Evite lubrificar muito. O suor que sai das suas mãos atinge a parte metálica que é rapidamente oxidada, fazendo os rolamentos perderem a capacidade. Caso o skate caia dentro da água, os rolamentos devem ser retirados com um pano seco, limpos e lubrificados. Se o skate começar a perder a velocidade, pode ser necessária a lubrificação, caso ele já esteja em uso há 2 ou 3 meses. Evite ao máximo andar em locais com muita poeira, o que prejudica o desempenho e aumenta o desgaste dos rolamentos.

Trucks
Apertar muito o parafuso central pode esmagar os amortecedores, causando uma ruptura ou deixando o truck torto. Caso o amortecedor continue muito mole mesmo apertando o parafuso, é melhor trocá-lo por um mais duro. Apertar sempre os parafusos de base, aqueles que unem o shape com o truck, também é aconselhável, evitando a folga que pode acarretar choques entre a base do truck e o shape, quebrando a base. Para isso, você pode usar o pad, um espaçador de plástico de um a dois milímetros de espessura entre a base e o shape, amortecendo o choque.

Rodas
Evite andar em lugares com diversas saliências, fazendo o skate trepidar muito, pois em pouco tempo os rolamentos podem ficar com folga no interior das rodas. Sempre que você perceber que suas rodas estão ficando gastas de um lado só, faça o rodízio fazendo um X, ou seja, as rodas que estiverem no eixo de trás do lado esquerdo devem ir para frente no lado direito. Nesse rodízio, tome cuidado para não inverter o lado da roda: se no eixo de trás do lado esquerdo a roda estiver com o desenho virado para fora, ao trocá-las com a do eixo da frente do lado direito ela deve estar com o desenho para o lado de dentro.

You Might Also Like

0 comentários